Blog do Arcanjo http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br Com leveza, curiosidade e inteligência, o Blog do Arcanjo abre as cortinas para o teatro, propondo um diálogo entre o palco e o mundo da cultura e do entretenimento. Sun, 26 May 2019 14:06:26 +0000 pt-BR hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.7.2 Consagração brasileira em Cannes lava a alma dos artistas aqui perseguidos http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/26/consagracao-brasileira-em-cannes-lava-a-alma-dos-artistas-aqui-perseguidos/ http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/26/consagracao-brasileira-em-cannes-lava-a-alma-dos-artistas-aqui-perseguidos/#respond Sun, 26 May 2019 14:06:26 +0000 http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/?p=26928

Filme brasileiro “Bacurau”, que ganhou Prêmio do Júri no Festival de Cannes – Foto: Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

A dupla vitória brasileira neste Festival de Cannes, na França, lava a alma dos artistas nacionais, tão perseguidos ultimamente pelo atual governo Bolsonaro.

O reconhecimento do mais célebre e respeitado festival cinematográfico do mundo à qualidade do cinema brasileiro comprova que os grandes investimentos culturais nas duas primeiras décadas do século 21 foram mais que acertados.

O cobiçado e inédito Prêmio do Júri de Cannes, o terceiro mais importante do evento, para “Bacurau”, filme de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, além do Prêmio da Mostra Um Certo Olhar para o longa “A Vida Invisível de Eurídice Gusmão”, de Karim Aïnouz, revelam ao mundo o grau de maturidade e de qualidade do cinema brasileiro contemporâneo.

Isso, obviamente, é fruto da grande mobilização da classe artística por incentivos às artes nas últimas duas décadas, resultando em dinheiro para o setor, que possibilitou a formação de uma nova e altamente produtiva geração de artistas.

Filmes nacionais recentes como os excelentes “Arábia”, de Affonso Uchoa e João Dumans, listado entre os melhores pelo jornal norte-americano The New York Times, e “Temporada”, de André Novais Oliveira, comprado recentemente pela Netflix, comprovam a sensibilidade e sagacidade de nosso cinema brasileiro contemporâneo e também o interesse que ele desperta mundo afora.

Só que, enquanto nossos artistas são aplaudidos pelo mundo lá fora, aqui no Brasil vivem cenário desolador, com a política do governo Bolsonaro que busca perseguir e demonizar o fazer artístico, sobretudo o cinematográfico e o teatral, com duros cortes nos apoios, incentivos e investimentos nestes setores, dinheiro este que permitiu justamente o atual nível de excelência nessas artes, reconhecido internacionalmente — este colunista lembra que, no teatro, a superprodução musical “O Rei Leão” em Madri, na Espanha, “importou” o talento do brasileiro Tiago Barbosa para o posto de protagonista da montagem europeia, feito inédito e histórico para o nosso teatro.

Ao perseguir os artistas, o governo Bolsonaro tenta derrubar algo que funciona, dá retorno e gira a economia do Brasil: o que seriam dos faturamentos dos shoppings sem a movimentação gerada por suas salas de cinema? Ou dos táxis, ubers, bares e restaurantes sem o público do teatro? Fora os milhares de empregos diretos que a arte gera, desde a faxineira do teatro e cinema ao diretor e artistas no palco ou na tela.

Além disso, a arte é um grande cartão de visitas de um país. Matá-la é um tiro no pé em termos de construção da imagem brasileira no mundo, e só ajuda a espantar os investimentos internacionais por aqui. Um país sem arte passa a imagem de estar distante do desenvolvimento e da civilização.

Os prêmios em Cannes são melhores para a promoção brasileira do que qualquer propaganda governamental paga internacionalmente ou as desastradas últimas viagens aos Estados Unidos feitas pelo poder federal, que mais arranharam a imagem brasileira do que promoveram o país para aquele que nele pudessem querer investir.

Enquanto o governo Bolsonaro não compreender que investir em cultura e em arte traz não só retorno econômico quanto prestígio internacional ao nosso país, nossos artistas continuarão assim: heróis lá fora e forasteiros perseguidos em sua própria terra. O que é profundamente lamentável e, mais ainda, inaceitável.

Siga Miguel Arcanjo no Instagram

]]>
0
Gustavo Ferreira, o incansável artista do Satyros no palco e nos bastidores http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/24/gustavo-ferreira-o-incansavel-artista-do-satyros-no-palco-e-nos-bastidores/ http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/24/gustavo-ferreira-o-incansavel-artista-do-satyros-no-palco-e-nos-bastidores/#respond Fri, 24 May 2019 15:00:43 +0000 http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/?p=26917

Gustavo Ferreira, ator, diretor e produtor teatral – Foto: Laysa Alencar – Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Gustavo Ferreira é do tipo incansável. Capaz de fazer mil coisas ao mesmo tempo, dos bastidores ao palco. Tanto que é ator, diretor e produtor.

Atualmente, brilha no tradicional palco do Teatro Anchieta no Sesc Consolação como o inescrupuloso síndico Alone na peça “Mississipi”, que comemora os 30 anos da Cia. de Teatro Os Satyros.

No ano passado, esteve na China com a peça “Cabaret Fucô”, representando o Brasil com o Satyros no Festival Internacional de Teatro de Wuzhen.

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Gustavo Ferreira (@gustavoator) em

Seu atual personagem, que em “Mississipi” tem como obsessão exterminar pessoas em situação de rua na praça Roosevelt, centro paulistano, é um reflexo do ódio presente no Brasil atual.

“Estamos em comemoração dos 30 anos do Satyros em festa no Sesc Consolação. Fico emocionado em todas as apresentações. Alone é um grande presente do Ivam [Cabral] e Rodolfo [García Vázquez, autores da peça e fundadores do Satyros] pra mim. Difícil pra caramba, mas um grande presente”, define, em conversa exclusiva com o Blog do Arcanjo.

Gustavo Ferreira como Alone em “Mississipi” – Foto: Andre Stefano – Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Ele ainda atuou na apresentação especial na última Virada Cultural da peça clássica do Satyros, “Os 120 dias de Sodoma”, inspirada em Marquês de Sade. “Depois de cinco temporadas nos últimos quatro anos, ‘120 dias’ continua a questionar e expurgar nossos sentimentos com o Brasil atual. Uma honra poder fazer a personagem que já foi do meu grande amigo Heitor Saraiva”, lembra.

O ator ainda está no processo criativo da adaptação desta peça para o cinema: “Vem aí o filme ‘Os 120 Dias de Sodoma’, estamos no começo de processo, com muitas ideias, o Satyros Cinema se fortalecendo com tudo”, vibra.

Gustavo Ferreira, em foto de 2012 na praça Roosevelt: ele vai completar dez anos como coordenador geral da Satyrianas, um dos maiores festivais de arte do país – Foto: Eduardo Enomoto – Arquivo Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Se no palco coleciona elogios por sua criação intensa para o controverso vilão de “Mississipi”, nos bastidores ele também não para, atuando como diretor e produtor.

Seu grande trunfo é a Satyrianas, o gigante festival de artes do Satyros que movimenta a metrópole com 78 horas de arte. A previsão este ano, quando Gustavo completa dez anos à frente da coordenação geral do evento, é que ele aconteça nos dias 14, 15, 16 e 17 de novembro.

“Trabalho na produção da Satyrianas desde 2007 e sou coordenador geral desde 2009. Satyrianas ocupa quase que todos os meus dias do ano, seja com novas ideias, novos projetos ou a parte técnica. Brinco que todo ano gero um novo filhinho, uma nova Satyrianas. Meu maior aprendizado e meu maior agradecimento ao Ivam e Rodolfo”, afirma.

O ator Gustavo Ferreira no camarim do Teatro Anchieta do Sesc Consolação na estreia da peça “Mississipi”, que celebra os 30 anos do Satyros – Foto: Silvio Eduardo – Divulgação Satyros – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Desde 2010, Gustavo trabalha também como produtor cultural da SP Escola de Teatro, projeto do qual participa “desde o comecinho”. “Faz alguns anos que sou responsável pela Produção na sede Roosevelt. Trabalho diariamente com artistas incríveis. Você poder estar em contato com o teatro, com essa efervescência artística todos os dias, é incrível”, define.

Rodolfo García Vázquez, Raul Barretto, Ivam Cabral, Hugo Possolo e Gustavo Ferreira na abertura da Satyrianas 2018 – Foto: Izabelle Lisboa – Coletivo Fotomix 2018 – Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

Na direção, em parceria com Rodolfo García Vázquez, assina “Uma Canção de Amor”, a partir de textos de Jean Genet e com estreia prevista para final de junho. No elenco estão Roberto Francisco e Henrique Mello. “Roberto fez a lendária montagem de ‘O Balcão’, dirigida pelo argentino Victor García nos anos 1960, e tem mais de 50 anos de carreira. Ter a honra e oportunidade de dirigir ele junto com o Rodolfo é pra poucos, além de ser uma delícia ter o Henrique no elenco, um baita ator e grandissíssimo amigo”, conta.

Recentemente, Gustavo ainda dirigiu a peça “6 minutos”, que discutiu temas como feminicidio, depressão e política armamentista. A obra foi fruto da oficina que dá a jovens atores no Satyros. “Sempre amei dar aula, sou formado em licenciatura. É muito gratificante, mas também cansativo [risos]”.

Cena da peça Helenas, sucesso na praça Roosevelt dirigido por Gustavo Ferreira – Foto: Andre Stefano – Divulgação Satyros – Blog do Arcanjo – UOL

Outra direção recente sua foi da peça “Helenas”, que focou na temática da mulher ao longo dos tempos. “Uma das maiores experiências como homem e cidadão que poderia ter. Meu maior respeito e admiração para todos que fizeram esse projeto continuar depois de dois anos em temporada”, fala.

Outro projeto de direção foi o show do cantor Bruno Mog que abriu a apresentação do Paralamas do Sucesso no começo do mês. “Foi minha primeira experiência com direção de um show de música. Eu e Bruno somos amigos há mais de 15 anos, isso ajuda muito. Ele é um baita cantor e compositor. Estamos embarcando e descobrindo tudo junto. E digo: está cada vez mais lindo!”, avisa.

O ator Gustavo Ferreira no camarim do Satyros – Foto: Laysa Alencar/Satyros/Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

E vem mais direção por aí: “Gaveta D’Água”, com texto de Nina Nóbile e atuação de Silvio Eduardo, com estreia prevista para julho. “Estamos reunindo uma equipe incrível para que seja um belo espetáculo”, avisa.

Outro espetáculo sob seu comando, dessa vez como diretor de produção, é um que celebrará a diva Phedra D. Córdoba, previsto para o segundo semestre.

“Minha mais nova alegria. Primeiro, por falar de Phedra, por resgatar e estar perto da minha grande amiga diva de novo. Segundo, por conta das pessoas que fazem parte do projeto, uma alegria sem tamanho. Vai ser lindo”, avisa.

O ator Gustavo Ferreira em frente ao cartaz da peça “Cabaret Fucô” em Wuzhen, na China, com seu rosto estampado, no ano passado – Foto: Divulgação Satyros – Blog do Arcanjo – UOL

Diante de tantos projetos, fica a pergunta: como Gustavo Ferreira dá conta? Ele responde:

“Como fazer tudo isso? Não sei. É muita coisa? [risos] Tenho uma eterna gratidão ao teatro, às artes e a tudo que me proporcionam. Amo trabalhar e amo ainda mais trabalhar com o que gosto”, fala.

Diego Ribeiro e Gustavo Ferreira, do Satyros, nos bastidores da estreia de “Mississipi” no Sesc Consolação – Foto: Laysa Alencar @alencar_photo – Divulgação Satyros – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

“Ter as melhores e mais amadas pessoas do seu lado fazem toda a diferença. O Diego Ribeiro, por exemplo, está em quase todos – se não em todos – os projetos junto comigo… A mesma coisa com o Silvio Eduardo… As oportunidades que o Ivam e o Rodolfo me dão até hoje e ter eles como inspiração de workaholics, são a minha base para fazer e fazer”, conclui.

Impecável como o antagonista de “Mississipi”, Gustavo Ferreira interpreta um cruel síndico na peça que celebra os 30 anos da Cia. de Teatro Os Satyros – Foto: Virginia Benevenuto – Divulgação Festival de Curitiba – Blog do Arcanjo – UOL

Siga Miguel Arcanjo no Instagram

]]>
0
Verônica Bonfim lança Nega Luxenta como resposta a estereótipo racista http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/24/veronica-bonfim-lanca-nega-luxenta-como-resposta-a-estereotipo-racista/ http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/24/veronica-bonfim-lanca-nega-luxenta-como-resposta-a-estereotipo-racista/#respond Fri, 24 May 2019 10:49:47 +0000 http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/?p=26911

A cantora Verônica Bonfim – Foto: Juliana Varajão – Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

“Nega luxenta é o que você quiser ser”, define a cantora Verônica Bonfim sobre sua música “Nega Luxenta”, cujo clipe acaba de lançar. “Nega luxenta é toda mulher negra cis, trans, bi, lésbica, dona do seu próprio caminho, que escreve sua própria história”, diz.

A cantora baiana é uma das sete estrelas do musical de sucesso de público e de crítica “Elza”, com a vida da cantora Elza Soares, atualmente em cartaz no Rio e que volta a São Paulo no próximo mês.

Em conversa com o Blog do Arcanjo, Verônica revela que compôs “Nega Luxenta” em 2010. “Fiz para uma amiga, Shirlene Paixão, e a expressão vem de uma memória de infância de minha vó paterna, meu pai e irmãs, reis e rainhas, negros e negras vindos de África. É uma resposta a um estereótipo racista que nos dão desde sempre”, pontua.

A cantora Verônica Bonfim – Foto: Juliana Varajão – Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Siga Miguel Arcanjo no Instagram

]]>
0
Rui Dias Monteiro, o artista português que se encantou por São Paulo http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/23/rui-dias-monteiro-o-jovem-artista-portugues-que-se-encantou-por-sao-paulo/ http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/23/rui-dias-monteiro-o-jovem-artista-portugues-que-se-encantou-por-sao-paulo/#respond Thu, 23 May 2019 23:00:47 +0000 http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/?p=26899

O artista visual português Rui Dias Monteiro: relação intensa nos últimos meses com São Paulo – Foto: Marcus Leoni – Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

O artista visual Rui Dias Monteiro retorna para sua Portugal natal na próxima semana após um efervescente e produtiva vivência artística no Brasil, mais especificamente na cidade de São Paulo.

A relação dele com o nosso país começou em 2017, quando ganhou uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian, em Portugal, para fazer uma residência artística de quatro meses na Faap (Fundação Armando Alvares Penteado). “Desde então tenho estado entre Lisboa e São Paulo”, conta ele em conversa exclusiva com o Blog do Arcanjo.

“No final de 2018, regressei aqui por mais tempo e acabei fazendo uma nova residência artística no Pivô”, diz, sobre o espaço de produção artística localizado no Copan, célebre edifício paulistano projetado por Oscar Niemeyer.

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Rui Dias Monteiro (@ruidiasmonteiro) em

“Ao mesmo tempo, também entrei no Centro de Pesquisa Teatral com o Antunes Filho, com quem estive ao longo dos últimos meses — o que acabou por ser muito intenso devido também à sua morte”, reflete o artista, cuja obra transita entre escrita, fotografia, desenho e vídeo.

Neste tempo, Rui participou de uma exposição coletiva, “Escuta à Procura de Som”, ao lado dos artistas Carolina Cordeiro, Laura Belém e Diogo Bolota no Consulado Geral de Portugal em São Paulo, com curadoria de Isabella Lenzi. Nela, apresentou seu trabalho “Tragédia T.”, na qual demonstrou aguçada sensibilidade em seu olhar para o universo das pessoas trans.

Rui Dias Monteiro: residência no Pivô do Copan, exposição no Consulado de Portugal em SP e estudos no Centro de Pesquisa Teatral de Antunes Filho – Foto: Marcus Leoni – Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Em Portugal, onde vive em Lisboa, Rui concluiu em 2008 o Curso Avançado de Fotografia e Projecto Individual no Ar.Co – Centro de Arte e Comunicação Visual, e em 2016 a pós-graduação em Discursos da Fotografia Contemporânea na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. Também em 2016, recebeu o Prémio BF16 – Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira.

“Regresso a Portugal já na próxima semana, cheio de saudades de lá, mas desejoso de poder regressar ao Brasil em breve, apesar da desilusão política por que está a passar”, pontua Rui, que é autor dos livros “Sob Cada Erva” (STET, 2014), “Fazer Fogo à Noite” (não edições, 2014) e “Reunião de Pedras” (não edições, 2018).

Siga Miguel Arcanjo no Instagram

]]>
0
Astro de Hollywood, Ethan Hawke virá ao Brasil selecionar locações de filme http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/23/astro-de-hollywood-ethan-hawke-vira-ao-brasil-selecionar-locacoes-de-filme/ http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/23/astro-de-hollywood-ethan-hawke-vira-ao-brasil-selecionar-locacoes-de-filme/#respond Thu, 23 May 2019 22:15:59 +0000 http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/?p=26894

Ethan Hawke – Foto: Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

O astro norte-americano Ethan Hawke, indicado quatro vezes ao Oscar, duas vezes como ator e outras duas como roteirista, estará no Brasil em novembro, onde será ciceroneado pelos produtores brasileiros Mayra Auad e Mario Peixoto.

Ele virá ao país para selecionar as locações de seu próximo filme, “Camino Real”. Ainda em fase de pré-produção, a obra é uma adaptação da peça homônima de Tennessee Williams, de 1953, e será filmada no Rio de Janeiro em 2020.

O enredo fantasioso se passa em uma cidade isolada, de clima tropical, à qual chega o ex-campeão de boxe Kilroy. Lá, ele conhece personagens clássicos da história, da literatura e do cinema e, a partir de tais encontros, avalia sua própria existência.

A atriz Juliette Binoche já está confirmada no elenco. A história é bem conhecida por Hawke, que assina o roteiro e a direção do longa. Ele protagonizou uma montagem de “Camino Real” em 1999, no Williamstown Theatre Festival, nos Estados Unidos.

A versão cinematográfica está sendo produzida por Uri Singer, Mayra e Peixoto – sócios na Passage Pictures –, e também por John Sloss, da Cinetic Media, e Ryan Hawke, da Under the Influence Productions.

A Passage Pictures está atualmente em fase de produção do filme “Tesla”, de Michael Almereyda, em que Hawke interpreta o inventor e cientista Nikola Tesla, ao lado de atores como Eve Hewson e Kyle MacLachlan.

Siga Miguel Arcanjo no Instagram

]]>
0
Paloma Bernardi e Kiko Pissolato voltam com peça Eles Não Usam Black-Tie http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/23/paloma-bernardi-e-kiko-pissolato-voltam-com-peca-eles-nao-usam-black-tie/ http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/23/paloma-bernardi-e-kiko-pissolato-voltam-com-peca-eles-nao-usam-black-tie/#respond Thu, 23 May 2019 12:03:06 +0000 http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/?p=26882

Paloma Bernardi e Kiko Pissolato estão em Eles Não Usam Black-Tie, que volta em 31/5 no Teatro MorumbiShopping – Foto: Kelson Spalato – Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Os atores Paloma Bernardi e Kiko Pissolato se preparam para a volta do espetáculo “Eles Não Usam Black-Tie”, um clássico do teatro brasileiro escrito por Gianfrancesco Guarnieri e montado pelo Teatro de Arena seis décadas atrás.

Após temporada com sucesso de público no ano passado e viagens pelo interior de São Paulo, a peça retorna para curta temporada a partir do dia 31 de maio no Teatro Morumbi Shopping, onde fica até o fim de junho [veja serviço ao fim].

Na obra, Gianfrancesco Guarnieri apresenta de maneira cotidiana questões sócio-políticas ainda atuais do Brasil, vividas por Tião, seu protagonista-operário em um contexto de greve, que o próprio autor viveu na montagem histórica do Arena 60 anos atrás e que agora é vivido por Kiko. Paloma interpreta Maria, a noiva do personagem.

O elenco é composto pelos atores Camila Brandão, Carolina Stofella, Haroldo Miklos, Kiko Pissolato, Miriam Palma, Paloma Bernardi, Paulo Gabriel, Samuel Carrasco, Tiago Real e Vicentini Gomez com direção de Dan Rosseto e direção de produção de Fabio Camara.

Eles Não Usam Black-Tie
Onde: Teatro Morumbi Shopping (av. Roque Petroni Jr., 1089 – Jardim das Acácias. 250 lugares+ 05 PNE; tel. 11 5123-2800)
Quando: 31/05 até 30/06/2019 (Sexta e Sábado 20h e Domingo 19h)
Quanto: R$ 70,00 (inteira) e R$ 35,00 (meia)
Classificação: 12 anos

Siga Miguel Arcanjo no Instagram

]]>
0
Cineasta baiano Edgard Navarro será homenageado em Ouro Preto na 14ª CineOP http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/23/cineasta-baiano-edgard-navarro-sera-homenageado-em-ouro-preto-na-14a-cineop/ http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/23/cineasta-baiano-edgard-navarro-sera-homenageado-em-ouro-preto-na-14a-cineop/#respond Thu, 23 May 2019 12:00:30 +0000 http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/?p=26887

O cineasta baiano Edgard Navarro: homenageado este ano da CineOP – Foto: Leo Lara – Divulgação Universo Produção – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

O cineasta baiano Edgard Navarro será o homenageado da  14ª CineOP – Mostra de Cinema de Ouro Preto, que será realizada de 5 a 10 de junho de 2019 na cidade histórica mineira pela Universo Produção. Na noite de abertura, ele receberá o Troféu Vila Rica, seguida da exibição de seus filmes “Exposed” (1978) e “Superoutro” (1989).

Segundo o festival, a escolha de seu nome tem como objetivo “reconhecer uma obra de grandeza única e original no cinema brasileiro no ano em que o diretor completa 70 anos e seu filme mais paradigmático, ‘Superoutro’, atinge a marca de três décadas desde o lançamento e seu mais recente trabalho, ‘Abaixo a Gravidade’, ganha o circuito comercial”.

“Essa carreira é uma súmula do modernismo brasileiro, passando pelo tropicalismo, Cinema Novo, underground, música popular e psicanálise”, afirma o curador Francis Vogner dos Reis. “Assistir aos filmes do Navarro hoje, no momento em que estamos vivendo no Brasil, é muito esclarecedor e profético. Ele parecia indicar, desde seus primeiros trabalhos, um recalque do autoritarismo brasileiro, pela via fálica, que se manifestou como exercício de poder durante o regime militar e que voltou com força recentemente”, complementa.

O cinesta Edgard Navarro – Foto: Leo Lara – Divulgação Universo Produção – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Ao longo da CineOP, serão ainda apresentados os filmes de Navarro “O Rei do Cagaço” (1977), “Porta de Fogo” (1982), “Lin e Katazan” (1986), “Talento Demais” (1995) e “Abaixo a Gravidade” (2018).

Evento dedicado ao cinema patrimônio, a CineOP vai enfocar este ano novas perspectivas da história do cinema, do patrimônio audiovisual e da educação guiadas pela ideia de território.

“A CineOP é uma declaração de princípios em favor do fortalecimento da cinematografia brasileira – polariza importantes ações de formação, reflexão, exibição e difusão com foco na preservação, história e educação. Em um mundo hiperacelerado e tecnológico, que muitas vezes se esquece ou negligencia sua própria história, a CineOP apresenta-se como palco de encontros, discussões e encaminhamentos do setor da preservação, do audiovisual em diálogo com a educação”, fala a coordenadora geral da CineOP e diretora da Universo Produção, Raquel Hallak.

Em meio ao casario histórico de Ouro Preto, público assiste aos filmes da CineOP – Foto: Leo Lara/Divulgação/Universo Produção – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Veja a programação da CineOP

Siga Miguel Arcanjo no Instagram

]]>
0
Pré-estreia do filme A Costureira de Sonhos reúne nomes da moda e do cinema http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/22/pre-estreia-do-filme-a-costureira-de-sonhos-reune-nomes-da-moda-e-do-cinema/ http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/22/pre-estreia-do-filme-a-costureira-de-sonhos-reune-nomes-da-moda-e-do-cinema/#respond Wed, 22 May 2019 23:57:55 +0000 http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/?p=26864

Maria Rita Alonso, Silvana Holzmeister e Juily Manghirmalani participara de bate-papo no lançamento do filme “A Costureira de Sonhos” no Reserva Cultural, em SP – Foto: Priscilla Sbrana/ Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Após conquistar o exigente público da Semana da Crítica do Festival de Cannes do ano passado, o filme “A Costureira de Sonhos” teve pré-estreia movimentada na última segunda (20) no Reserva Cultural, em São Paulo.

O evento contou com bate-papo após a exibição do longa, que chega às salas de todo país nesta quinta (23).

A jornalista Maria Rita Alonso, editora de moda do Estadão, a produtora e diretora Juily Manghirmalani e a editora de moda da Harper’s Bazaar Brasil, Silvana Holzmeister, participaram do debate após o filme.

Dirigido e roteirizado pela indiana Rohena Gera, o filme conta uma história de amor que tenta romper as barreiras de classe na Índia. Veja o trailer:

O Blog do Arcanjo mostra quem prestigiou a noite de cinema internacional do bom, promovida pela Imovision em parceria com o Reserva Cultural e a Singer.

A atriz Tuna Dwek esteve na pré-estreia de A Costureira dos Sonhos – Foto: Priscilla Sbrana/ Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

A jornalista Silvana Holzmeister participou do debate após o filme A Costureira dos Sonhos – Foto: Priscilla Sbrana/ Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

A jornalista Maria Rita Alonso participou do bate-papo sobre o filme indiano A Costureira dos Sonhos no Reserva Cultural – Foto: Priscilla Sbrana/ Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

A cineasta Juily Manghirmalani também participou do bate-papo sobre o longa indiano A Costureira dos Sonhos no Reserva Cultural – Foto: Priscilla Sbrana/ Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Matheus Evangelista viu o longa A Costureira dos Sonhos no Reserva Cultural – Foto: Priscilla Sbrana/ Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Maria Beatriz e Elias Oliveira prestigiaram o lançamento de A Costureira dos Sonhos no Reserva Cultural – Foto: Priscilla Sbrana/ Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Jorge Wakabara também assistiu ao filme indiano A Costureira dos Sonhos no Reserva Cultural – Foto: Priscilla Sbrana/ Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Siga Miguel Arcanjo no Instagram

]]>
0
SP tem aula grátis de tango e de bolero neste sábado no Tom Brasil http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/22/sp-tem-aula-gratis-de-tango-e-de-bolero-neste-sabado-no-tom-brasil/ http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/22/sp-tem-aula-gratis-de-tango-e-de-bolero-neste-sabado-no-tom-brasil/#respond Wed, 22 May 2019 23:34:36 +0000 http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/?p=26858 O público paulistano poderá fazer duas oficinas gratuitas de dança neste sábado (25) no Tom Brasil, nos ritmos do tango e do bolero.

O Blog do Arcanjo conta quem vai ensinar os famosos ritmos de dança de salão: Margareth Kardosh e Vítor Costa vão comandar a aula de tango, já Djeiko Henes e Bruna Piresos são os professores escalados para o bolero.

Para participar os interessados deverão chegar 15 minutos antes do início das oficinas, com documento de identidade e assinar a lista de presença. As vagas são limitadas.

A oficina de tango acontecerá de 10h às 12h; já a de bolero, das 14h as 16h. Ao fim, os participantes ganharão um certificado de participação.

O Tom Brasil fica na R. Bragança Paulista, 1281, zona sul paulistana.

Siga Miguel Arcanjo no Instagram

]]>
0
Exclusivo: Luedji Luna revela cidades e datas de sua turnê internacional http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/22/exclusivo-luedji-luna-revela-cidades-e-datas-de-sua-turne-internacional/ http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2019/05/22/exclusivo-luedji-luna-revela-cidades-e-datas-de-sua-turne-internacional/#respond Wed, 22 May 2019 14:56:53 +0000 http://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/?p=26850

Luedji Luna andando pelo mundo com “Um Corpo no Mundo” – Foto: Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Com a carreira em ascensão, a cantora Luedji Luna revela com exclusividade ao Blog do Arcanjo as datas e cidades por onde passará em sua primeira internacional. Nos meses de junho e julho a cantora baiana radicada em São Paulo levará, pela primeira vez, seu álbum “Um Corpo no Mundo” para outras partes do planeta.

Antes da viagem, ela faz o show do EP “Mundo” com DJ Nyack nos dias 1º e 2 de junho, no Sesc Pompeia, com participações de Tássia Reis, Rincon Sapiência, Stéfanie e Zudizilla.

Com versão do disco “Um Corpo no Mundo” em CD e LP sendo lançada por toda a Europa pelo selo Stern Music no dia 21 de junho, a turnê internacional começa no dia 28 de junho por Montréal, cidade na província de Québec, no Canadá, onde Luedji irá se apresentar no famoso Montréal Jazz Festival. O evento chega à sua 40ª edição em 2019 e receberá grandes nomes da música mundial como Melody Gardot, Norah Jones, Bebel Gilberto e Mr Eazy.

No dia 30 de junho, a baiana estará em Toronto, também no Canadá, onde comandará o palco do Lula Lounge no ato de abertura do show da vocalista e guitarrista Luanda Jones, dona de uma voz suave que mistura bossa nova, jazz, samba, funk e que vem encantando e conquistando os canadenses.

Em julho, Luedji cruza o oceano para sua “Europe Summer Tour”. A leg europeia começa em Amsterdã, onde Luedji participará do Amsterdam Roots Festival no dia 4 de julho, na Holanda. Em seguida, ela embarca para Berlim, na Alemanha, para se apresentar no Haus der Kulturen der Welt (HKW) durante o projeto Wassermusik: Black Atlantic Revisited que acontece no dia 5 de julho e terá, também em seu palco, Milton Nascimento apresentando a nova turnê, “Clube da Esquina”.

No dia 5 de julho, Luedji participa da edição 2019 do Rudolstadt Festival, em Frankfurt, na Alemanha, onde novos nomes da música mundial se unem a grandes estrelas em programações que inclui shows, workshops, palestras e exposições.

Seguindo a turnê, Luedji Luna leva seu “Um Corpo no Mundo” para Portugal, com shows em Lisboa (11/7); Porto (13/7); Madeira (17/7) e Sines (19/7).

Siga Miguel Arcanjo no Instagram

Com foco na diáspora africana pelo planeta, o show “Um Corpo no Mundo” fala dos orixás e da ancestralidade africana, mas também toca em temas como política, violência policial contra negros e o caos urbano.

O Blog do Arcanjo adianta também em primeira mão a equipe da turnê internacional de Luedji Luna: o show conta com a produção do sueco Sebastian Notini; a guitarra do queniano Kato Change; o violão do paulistano descendente de congolês François Muleka; a percussão do baiano Rudson Daniel; e o cubano Aniel Someillan fica com o baixo.

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Luedji Luna (@luedjiluna) em

]]>
0