Topo
Blog do Arcanjo

Blog do Arcanjo

Categorias

Histórico

Musical celebra Elza Soares com sete protagonistas negras

Miguel Arcanjo Prado

12/07/2018 11h24

Elza Soares ganha homenagem em forma de musical que leva seu nome e estreia no dia 19 de julho no Teatro Riachuelo, no Rio – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

Elza Soares ganha uma emblemática homenagem nos palcos a partir de 19 de julho, quando estreia o musical “Elza''. Ele traz sete protagonistas negras dividindo o papel-título no palco do Teatro Riachuelo, no Rio, onde cumpre temporada de quinta a domingo até 30 de setembro.

Aos 81 anos, a artista carioca ocupa o trono de uma das grandes cantoras no mundo. Ela foi chamada de “Cantora do Milênio'' pela BBC de Londres e fartamente elogiada por jornais como o inglês The Guardian e o norte-americano The New York Times.

O musical ressalta a diva negra da MPB, que ganha corpo e voz nas sete diferentes atrizes-cantoras que dividem o papel-título da superprodução dirigida por Duda Maia, com texto de Vinícius Calderoni, além da direção musical de Pedro Luís, que criou novos arranjos para os hits da artista.

A atriz convidada Larissa Luz divide Elza com outras seis atrizes selecionadas em audições com mais de 200 candidatas. As vitoriosas foram Janamô, Júlia Dias, Késia Estácio, Khrystal, Laís Lacorte e Verônica Bonfim.

Leia mais:

Ator desmonta o racismo em peça em SP

Mulheres negras vencem festival de cinema

Tiago Abravanel aplaude musical de amigos

Elza Soares com a equipe do musical Elza: bênção da artista para o projeto – Foto: Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

O projeto tem idealização de Andrea Alves, da Sarau Agência, responsável também pelos recentes sucessos nos palcos “Suassuna – O Auto do Reino do Sol'' e “Auê''.

“Elza'' promete ressaltar a forte personalidade da cantora e sua constante capacidade de reinvenção, mesmo diante das adversidades que a vida lhe apresentou ao longo de sua difícil, mas brilhante, trajetória.

Segundo a produção, o objetivo é traçar o “retrato de uma mulher negra, de origem humilde, presente na história dos últimos 60 anos da música brasileira''.

Outra fator reforçado pela montagem é a conexão de Elza com as questões relacionadas à mulher na sociedade. Ela sempre foi voz importante na defesa dos direitos femininos, o que é mostrado na peça.

No repertório, estão canções emblemáticas na voz da cantora, como “Se Acaso Você Chegasse'', “Lama'', “O Meu Guri'' e “A Carne''. Para deixar felizes fãs de ontem e de hoje desta grande artista chamada Elza Soares.

Siga Miguel Arcanjo Prado

Sobre o autor

Miguel Arcanjo Prado é jornalista formado pela UFMG, pós-graduado na USP e mestrando em Artes na UNESP. É vice-presidente da APCA. Mineiro de Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. Passou por TV UFMG, O Pasquim 21, TV Globo, Curso Abril de Jornalismo, Contigo!, Folha de S.Paulo, Agora, R7, Record e Record News.

Sobre o blog

O Blog do Arcanjo conta de um jeito leve e inteligente o que rola nos palcos e nos bastidores do mundo do Entretenimento.