Topo
Blog do Arcanjo

Blog do Arcanjo

Categorias

Histórico

Preconceito por ser nordestina inspira música Meu Sotaque de Vania Abreu

Miguel Arcanjo Prado

10/08/2018 15h32

Na música Meu Sotaque, a cantora baiana Vania Abreu transforma em arte um preconceito sofrido em São Paulo por ser nordestina: ela faz show nesta sexta (10), às 21h, no Sesc Bom Retiro – Foto: Patricia Ribeiro – Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

A cantora Vania Abreu quer saber de mais diversidade na música e de menos preconceito. Baiana radicada em São Paulo, ela faz o show "Antes de Hoje", às 21h desta sexta (10), no teatro do Sesc Bom Retiro (al. Nothmann, 185), em São Paulo, com ingresso a R$ 30 a inteira e R$ 15 a meia. Uma das pérolas do show é uma canção que nasceu em um episódio de preconceito que ela sofreu por ser nordestina.

A canção "Meu Sotaque" fala sobre uma situação de intolerância vivenciada por ela e transformada em música por Marcelo Quintanilha, seu marido, músico e compositor.

"Em uma discussão sobre cidadania, uma pessoa percebeu que meu sotaque era diferente do dela, perguntou de onde eu era e começou a me ofender. Meu lugar de origem foi relacionado a todos os problemas de São Paulo. Meu marido percebeu que a ofensa dela me sensibilizou muito e escreveu a música como resposta à xenofobia e a esse lugar de estranhamento das diferenças culturais/étnicas que é vivido por muitas pessoas", revela em conversa com o Blog do Arcanjo no UOL.

Vania Abreu: show nesta sexta (10) no Sesc Bom Retiro – Foto: Patricia Ribeiro – Divulgação – Blog do Arcanjo – UOL

Vania também se assusta por ver cada tribo consumindo apenas alguns tipos de canções.

"Ao invés de a música nos unir, ela tem nos separado. As rádios estão cada vez mais segmentadas, as pessoas assistem apenas aos shows de artistas que gostam porque tem a ver com a tribo delas e cada artista fala só com a sua rede. Isso é dividir o público", fala Vania.

"'Antes de Hoje' celebra a diversidade com poesia e alegria. É sobre o poder da música de nos unir, de nos dar esperança e de curar nossas dores", fala.

Vania sobe ao palco ao lado de João Cristal (piano), Xinho Rodrigues (baixo), Thiago Coiote (bateria) e Chrys Galante (percussão).

Na apresentação, ela passeia por canções de ritmos diversos que marcaram sua trajetória desde os barzinhos a apresentações em trios elétricos de Salvador, além da sólida carreira na MPB, trilhada a partir da mudança para São Paulo.

O show também faz uma crítica ao momento de aumento do conservadorismo no país — recentemente, a irmã de Vania, a também cantora Daniela Mercury, está sendo vítima de forte ataques nas redes sociais por ser contra a censura e defender a liberdade de expressão.

"Posso conhecer a alma de um povo ou de um país por meio da música. Deveríamos conhecer a alma do brasileiro e entender como conviver bem entre nós", diz Vania.

Siga Miguel Arcanjo Prado

Sobre o autor

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes Cênicas pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. É crítico da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), da qual foi vice-presidente. Mineiro de Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. Passou por O Pasquim 21, TV UFMG, Rádio UFMG Educativa, TV Globo Minas, Curso Abril de Jornalismo, Superinteressante, Contigo!, Folha de S.Paulo, Agora, Uma, R7, Record, Record News, Rede TV!, Claudia e Band. Foi eleito duas vezes um dos dez melhores jornalistas de Cultura em Mídia Eletrônica do Brasil pelo Prêmio Comunique-se.

Sobre o blog

O Blog do Arcanjo mostra o que acontece e quem é destaque nos palcos, telas, salas e bastidores do Entretenimento e da Cultura de um jeito leve e inteligente.