Topo
Blog do Arcanjo

Blog do Arcanjo

Categorias

Histórico

Morte de Ricardo Boechat é perda irreparável para jornalismo brasileiro

Miguel Arcanjo Prado

11/02/2019 14h05

Ricardo Boechat, que morreu aos 66 anos em queda de helicóptero em SP – Foto: Divulgação – Band

A morte de Ricardo Boeachat, aos 66 anos, na queda de um helicóptero em São Paulo, nesta segunda (11), é uma perda irreparável para o jornalismo no Brasil.

Um dos profissionais mais respeitados no meio da comunicação pela competência com que realizava seu ofício, seja na televisão, no impresso, no rádio ou na internet, Boechat deixa um legado de amor aos princípios do bom jornalismo. Dedicação e lisura que faziam dele um dos nomes mais renomados e premiados de sua área.

Boechat mostrava diariamente que velha escola de jornalismo é fundamental

Atualmente, ele comandava o "Jornal da Band", além de ter seu programa na Rádio BandNews FM, grande sucesso também nas transmissões ao vivo pela internet, e a coluna na revista IstoÉ. Sempre com seu estilo corajoso e com fortes cobranças a quem estivesse no poder, independentemente de qual partido fosse.

Jornalista Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero

Boechat nasceu em 13 de julho de 1953, em Buenos Aires, Argentina, filho do diplomata brasileiro Eugênio Boechat.

Começou na imprensa em 1970, no carioca Diário de Notícias, onde foi assistente do lendário colunista social Ibrahim Sued (1924-1995).

Boechat no começo da carreira como repórter assistente da coluna do lendário Ibrahim Sued, ao seu lado – Foto: Reprodução/Facebook Ricardo Boechat

Anos depois, já em O Globo, atuou na coluna Swann, que passou a ter seu nome já no fim dos anos 1980, quando seu nome se tornou sinônimo de grandes furos jornalísticos.

Em meados dos anos 1980, Boechat chefiou a comunicação social do governador Moreira Franco, cargo que ocupou por apenas seis meses.

Sua predileção era realmente as redações e o hard news. Vencedor por três vezes do Prêmio Esso, ele trabalhou no Jornal do Brasil, onde chegou a ser diretor de redação, e também em O Estado de S. Paulo e no jornal O Dia.

Relembre a trajetória de Ricardo Boechat

Em televisão, atuou na Globo e no SBT como colunista. Em 2006, mudou-se para São Paulo para comandar o "Jornal da Band", principal telejornal da Bandeirantes.

Em 2014 e 2015, foi eleito o jornalista "mais admirado" em pesquisa do grupo Jornalistas&Cia, ficando duas vezes em primeiro lugar entre os 100 principais profissionais do jornalismo no Brasil.

A perda de Boechat é um duro golpe para o já combalido jornalismo brasileiro. Sua morte trágica coloca em luto a todos os admiradores desta cada vez mais difícil e tão necessária profissão para o bom funcionamento democrático, profissão esta que ele soube exercer tão bem por toda a vida.

Siga Miguel Arcanjo Prado no Instagram

Ricardo Boechat (1952-2019) – Foto: Divulgação – Band – Blog do Arcanjo – UOL

Sobre o autor

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes Cênicas pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. É crítico da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), da qual foi vice-presidente. Mineiro de Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. Passou por O Pasquim 21, TV UFMG, Rádio UFMG Educativa, TV Globo Minas, Curso Abril de Jornalismo, Superinteressante, Contigo!, Folha de S.Paulo, Agora, Uma, R7, Record, Record News, Rede TV!, Claudia e Band. Foi eleito duas vezes um dos dez melhores jornalistas de Cultura em Mídia Eletrônica do Brasil pelo Prêmio Comunique-se.

Sobre o blog

O Blog do Arcanjo mostra o que acontece e quem é destaque nos palcos, telas, salas e bastidores do Entretenimento e da Cultura de um jeito leve e inteligente.