Topo
Blog do Arcanjo

Blog do Arcanjo

Categorias

Histórico

Mel Lisboa volta ao teatro como mulher forte do século 19 escrita por Ibsen

Miguel Arcanjo Prado

2014-06-20T19:10:40

14/06/2019 10h40

Mel Lisboa protagoniza "Hedda Gabler", de Ibsen, que estreia no Parlapatões, em SP – Foto: Guto Garrote – Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

A atriz Mel Lisboa coleciona mulheres fortes e poderosas nas telas e nos palcos neste 2019. Após ser Rita Lee na Globo na série "Elis" no começo do ano, ela embarcou na forte protagonista Grace para a adaptação nos palcos do filme "Dogville" e também viveu outra mulher empoderada, a Thereza da série "Coisa Mais Linda", da Netflix.

A partir desta sexta (14), no palco do Espaço dos Parlapatões, na praça Roosevelt, reduto teatral do centro paulistano, ela dá vida a outra mulher fortíssima, criada por um dos maiores nomes da dramaturgia mundial no fim do século 19. Mel protagoniza a peça "Hedda Gabler", escrita em 1891 pelo norueguês Henrik Ibsen (1828-1906).

"É uma tradução inédita, feita por Leonardo Pinto Silva, que é muito talentoso e meu amigo. Ele traduziu a peça direto do norueguês para o português", revela Mel Lisboa em conversa exclusiva com o Blog do Arcanjo.

Leia também:
Peça liberártária, Os 120 Dias de Sodoma está de volta
Sucesso do Satyros, Mississipi vai para praça Roosevelt

Na obra, ela vive a filha de um general, que morre sem deixar herança a Hedda. A jovem acaba se casando com um homem de pretensões acadêmicas e conhece um grupo de pessoas que desencadeia vários acontecimentos dramáticos na vida da personagem e no seu entorno.

"Queria fazer uma peça que tivesse uma personagem feminina boa e que fosse um clássico", fala a atriz, que buscou os parceiros da A Não Companhia de Teatro, responsável por peças como "Rita Lee Mora ao Lado" (2014), "Otelo" (2015) e "Pedras Azuis" (2016), para concretizar o projeto.

O elenco dirigido por Márcio Macena ainda traz Samuel de Assis, Dudu Pelizzari, Rafael Maia, Carol Carreiro e Yael Pecarovich.

Rafael Maia, Mel Lisboa e Carol Carreiro em cena da peça "Hedda Gabler", que estreia no Parlapatões, na praça Roosevelt, em SP – Foto: Guto Garrote – Divulgação – Blog do @miguel.arcanjo – UOL

Mel revela que montar a obra nestes tempos atuais — com forte perseguição ao setor cultural no plano político — foi difícil.

"Colocamos na lei [de incentivo], mas não conseguimos captar. A turma decidiu montar na raça ao conseguir a pauta no Parlapatões. Fiquei assusta pela rapidez, por ser sem patrocínio, mas topie e falei: vamos lá, vamos fazer", conta, resoluta.

"Somos todos apaixonados pelo texto, que é pouco conhecido, inclusive pela classe artística. É uma oportunidade bacana de mostrar esse clássico e de tentar fazer com que as pessoas conheçam essa personagem tão importante da dramaturgia", conclui.

O diretor Márcio Macena afirma que buscou uma encenação atemporal, simples e calcada no justamente no texto e no elenco.

"Esses dois elementos já são suficientes para se fazer um bom espetáculo. Esse é o maior trunfo para falar desse feminismo, palavra que nem existia na época que o texto foi escrito, e que a figura da Hedda traz com tanta força. Quem diria que um texto escrito em 1890 seria tão atual", conclui.

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Mel Lisboa (@mellisboa) em

"Hedda Gabler, de Henrik Ibsen"
Quando:
Sextas e sábados, às 21h; e domingos, às 20h. 105 min. Até 28/7/2019.
Onde: Espaço Parlapatões (praça Franklin Roosevelt, 158, Consolação, São Paulo, tel. 11 3258-4449)
Quanto: R$50 (inteira) e R$ 25 (meia)
Classificação: 14 anos

Siga @miguel.arcanjo no Instagram

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Miguel Arcanjo Prado (@miguel.arcanjo) em

Sobre o autor

Miguel Arcanjo Prado é jornalista, mestre em Artes pela UNESP, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela USP e bacharel em Comunicação Social pela UFMG. É crítico da APCA (Associação Paulista de Críticos de Artes), da qual foi vice-presidente. Mineiro de Belo Horizonte, vive em São Paulo desde 2007. Passou por O Pasquim 21, TV UFMG, Rádio UFMG Educativa, TV Globo Minas, Curso Abril de Jornalismo, Superinteressante, Contigo!, Folha de S.Paulo, Agora, Uma, R7, Record, Record News, Rede TV!, Claudia, Band, Gazeta e Rede Brasil. É jurado dos prêmios APCA, do Humor, Bibi Ferreira, Sesc Melhores Filmes, Risadaria e Aplauso Brasil. Foi eleito duas vezes um dos dez melhores jornalistas do Brasil na categoria Cultura em Mídia Eletrônica pelo Prêmio Comunique-se.

Sobre o blog

O Blog do Arcanjo mostra o que acontece e quem é destaque nos palcos, telas, salas e bastidores do Entretenimento e da Cultura de um jeito leve e inteligente.